Não desanimes NUNCA

images maoNão permitas que os problemas externos, inclusive os do próprio corpo, te incapacitem para o serviço da tua iluminação.
 
Enquanto te encontras em pleno exercício na Terra, sempre serás defrontado pela dificuldade e pela dor. A lição dada e aprendida é caminho pra novas lições.
 
Atrás do enigma resolvido, outros enigmas surgirão.
Outra não é a função da escola, senão ensinar, exercitar e aperfeiçoar.
Enche-te, pois, de calma e de bom ânimo, em todas as situações.
 
Foste colocado entre obstáculos de mil natureza estranha, para que, vencendo as inibições fora de ti, aprendas a superar as tuas limitações.
 
Enquanto a humanidade não se adaptar à nova luz, respirarás cercado de lágrimas inquietantes, de gestos impensados e de sentimentos escuros.
Dispõe-te a desculpar e auxiliar sempre, a fim de que não percas a gloriosa oportunidade de crescimento espiritual.
 
Lembra-te de todas as aflições que rodearam os cristãos, no mundo, desde a vinda do Senhor.
Onde está o Sinédrio que condenou o Celeste Amigo à morte?
Onde os romanos vaidosos e dominadores?
 
Onde os guerreiros que fizeram correr, em torno do Evangelho, rios escuros de sangue e suor?
Onde os príncipes astutos que combateram e negociaram, em nome de Jesus?
Onde os políticos e inquisidores de todos os matizes, que feriram em nome do Exelso Benfeitor?
 
Arrojados pelo tempo nos despenhadeiros de cinza fortaleceram e consolidaram o pedestal de luz, em que a figura do Cristo resplandece cada vez mais gloriosa, no governo dos séculos.
 
Centraliza-te no esforço de ajudar no bem comum, seguindo com a tua cruz, ao encontro da ressurreição divina. Nas surpresas, constrangedoras da marcha, recorda que, antes de tudo, importa orar sempre, trabalhando, servindo, aprendendo, amando, e nunca desfalecer.
 
 Fonte: – Emmanuel / Chico Xavier

Anúncios

Feliz tempo novo!

Renascer em Cristo Jesus!

Para muitos a data presente representa o final de um período que gostariam de esquecer, para outros, é o recomeço de um feliz tempo novo, cheio de esperança e progresso.

Tanto um como outro estão certos, pois, segundo o entendimento de cada um, valoriza-se aquilo cuja mente se afina. A vivência terrena é oportunidade evolutiva, oferece a cada um o aprendizado próprio da encarnação.

 Para os que já compreendem o valor de superar as dificuldades, agradece de coração, a oportunidade. Os que ainda são guiados pelo ego e a vaidade, esses sofrem muito neste tempo, até pelas provas futuras, pois, vivem sob a mira da ansiedade e do apego.

É natural do ser encarnado, contar as dores, enumerar os desejos materiais, relacionar os devedores, gravar as magoas, praguejar contra o próximo e até contra as pobres criaturas que vos dedicam tanto amor – os animais – creiam; eles também são vossos irmãos. Não sabem que preconizam assim, as doenças, promove o contínuo desequilíbrio e colecionam débitos, sobrecarregando a próxima reencarnação.

Neste período presente, pode o ser desejoso de mudança, elevar-se em prece ao PAI da vida, agradecer pela vivencia até o momento presente, rogar por força para o auto perdão, afastando todos os resquícios do passado, pedir perdão também por aqueles a quem ofendeu e humildemente pedir que seja assim, perdoado pelo PAI.

Neste período, oferece ao teu Anjo bom um abraço de amor e alegria, pois tudo quanto possas recordar das travessias que tenha passado ainda assim, é ínfima diante do que lhe foi subtraído pelo amor e bondade deste amado companheiro, que escolheu passar durante toda a tua jornada encarnatória ao vosso lado, para que sempre se sinta amado.

Que nesta data de hoje, que teu desejo seja valido por todos os períodos vindouros, gravado para todo o sempre nas páginas de tua história; Tenha fé! Peçam, e lhes será dado; busque e encontrarão; batam, e a porta lhes será aberta…

É por ti que um tempo novo se inicia nesta data presente!

Um Amigo.

Mensagem recebida em 30.12.2011 – por Roberto Barros

A Importância da Oração

 

Pedir, Louvar e Agradecer

“Por isso vos digo: Todas as coisas que vós pedirdes, orando, crede que as haveis de receber e que assim vos sucederá” (Jesus Cristo, no Evangelho de São Marcos, Capítulo, versículo 24).

Jesus Cristo veio trazer uma nova religião, diferente de tudo que até então se tinha dito. Sua doutrina era baseada no culto interior e na modificação moral do homem. O Mestre Galileu nunca pediu para acendermos velas, cultuarmos imagens ou praticarmos qualquer outro ritual, pois “Deus é Espírito, e deve ser adorado em espírito e verdade”.

Entendendo isso, percebe-se que um dos atos mais importante da Doutrina do Cristo é a oração. Ele mesmo nos ensinou como a fazer, dizendo: “E quando orais, não faleis muito, como os gentios; pois cuidam que pelo seu muito falar serão ouvidos. Quando orais, não haveis de ser como os hipócritas, que gostam de orar em pé nas sinagogas, para serem vistos pelos homens”. [ Evangelho de Mateus, Capítulo 6, versículos 5 a 8]

Conforme estes ensinamentos, a oração se torna um ato interior do homem, pois é uma relação íntima da criatura com o Criador. Pede o Mestre para darmos mais importância ao sentimento que emana da prece do que às palavras. Não adianta orarmos muito e mecanicamente, como geralmente se faz, pois as coisas externas pouco significam para Deus e sim as que provêm do nosso coração.

Através da prece podemos nos dirigir a Deus de três formas: pedindo, louvando e agradecendo. Vamos entendê-las:

PEDIR: no trecho do Evangelho de Marcos que colocamos no início, Jesus fala que tudo o que pedirmos através da oração haveremos de receber. Temos que entender direito o que Ele quis dizer, pois o Pai Celestial sabe antes e melhor do que nós o que necessitamos. Mas, então, porque iremos pedir? Jesus assim aconselha porque, pedindo pela prece, nós nos colocamos numa posição de submissão em relação ao Alto. Essa atitude de humildade dará condições ao nosso Espírito de receber as boas influências provindas de Deus. Inspirações que nos levarão a vencer com mais tranquilidade e esperança nossas dificuldades ou as daqueles que amamos.

LOUVAR: Deus não precisa que nós O louvemos. Nele, não encontramos o desejo de grandeza, pois por Si só já é onipotente. Precisamos sim, quando orarmos, entender esta condição do Pai, que a tudo criou. Louvá-Lo não significa adulá-Lo, bajulá-lo, mas sim, reconhecer Sua justiça. Isso fortalecerá nossa fé nos seus desígnios.

AGRADECER: é de vital importância o agradecimento por tudo o que temos na nossa vida. Se formos fazer uma análise fria do que nos cerca, iremos perceber que temos muito mais coisas boas que dificuldades. Agradecendo pela comida que nos mantém vivos; pela roupa, a casa e o trabalho; e ainda por termos uma família, amigos e a oportunidade do lazer. Lembremo-nos que apesar de parecerem coisas corriqueiras na vida de todos, há muitos que por vários motivos não as têm. Embora Deus não precise de agradecimentos, ao reconhecermos Sua ajuda, estaremos nos predispondo a continuar recebendo-a, pois o grande beneficiado pela prece somos nós mesmos.

Jesus Cristo nos ensinou uma única oração: o Pai Nosso, que está no Sermão do Monte, dos Evangelhos. Esta prece contém tudo o que é necessário para a criatura entrar em contato com o Pai. Mas temos que fazê-la transformando as suas palavras em sentimentos, não apenas repetindo-as. Se você acha difícil o Pai Nosso, ore de outra forma. Simplesmente converse com Deus, falando de suas dores, de seus sofrimentos. Com certeza, seus problemas serão ouvidos e, na medida de sua fé, solucionados.

Texto de: Carlos Alexandre Fett

Compreendendo a Oração – Pai Nosso

A ligação com o PAI

Para dizer o “PAI NOSSO”, antes devo considerar todos os homens, independentemente de sua cor, raça, religião, posição social ou política, como meus irmãos, pois eles também são teus filhos; devo amar e proteger a natureza e os animais, pois se tu és meu pai, também és meu criador, e quem criou a mim, também criou a natureza.

Para dizer “QUE ESTAIS NO CÉU”, devo antes fazer uma profunda análise em minha consciência, procurando lembrar-me de quantas vezes te julguei como um Celestial Pai, pois, na realidade, sempre vivi me preocupando com coisas materiais.

Para dizer “SANTIFICADO SEJA O VOSSO NOME”, devo antes verificar se não cometi sacrilégios ao adorar outros “deuses” até acima de ti.

Para dizer “VENHA A NÓS O VOSSO REINO”, devo antes examinar minha consciência e procurar saber se não digo isto apenas por egoísmo, querendo de ti tudo, sem nada dar em troca.

Para dizer “SEJA FEITA A VOSSA VONTADE”, devo antes buscar meu verdadeiro ser e deixar de ser um falso Cristão, pois a tua vontade é a união fraternal de todos os seres que criastes.

Para dizer “ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU”, devo antes deixar de ser mundano e me livrar da procura desenfreada dos prazeres materiais, do orgulho e do egoísmo.

Para dizer “O PÃO NOSSO DE CADA DIA NOS DAI HOJE”, devo antes repartir o pão que me destes com os meus irmãos mais carentes e necessitados, pois é dando que se recebe; é amando que se é amado.

Para dizer “PERDOAI AS NOSSAS OFENSAS, ASSIM COMO TEMOS PERDOADO A QUEM NOS TEM OFENDIDO”, devo antes verificar se alguma vez tornei a estender minha mão àquele que me traiu; se alimentei àquele que me tirou o pão; se dei esperanças e acalentei àquele que me fez chorar; pois só assim terei perdoado àquele que me ofendeu.

Para dizer “E NÃO NOS DEIXAI CAIR EM TENTAÇÃO, MAS LIVRAI-NOS DO MAL”, devo antes deixar limpo o foco de meus pensamentos; amparar a mão estendida; socorrer o pedido de aflição; alimentar a boca faminta; iluminar os cegos e amparar os aleijados, ajudando a construção de um mundo melhor.

E finalmente, para dizer “AMÉM”, deverei fazer tudo isso agradecendo ao meu Criador, cada segundo de minha vida, como a maior dádiva que poderia receber.

http://www.cele.org.br