Ódio

Dependência do ódio

Muitas são as dependências, que nos assolam ao longo da vida. Alguns têm dependências afetivas, e vivem em constante busca que alguém os ame, mesmo sendo amados.

Outros têm dependências de vícios como o tabagismo, e mesmo notando que isto tem prejudicado seu corpo físico, continuam fumando sem se preocupar, com o que sofrerão mais tarde. Existem aqueles que são dependentes de drogas, e encontram-se paralisados pelas químicas mentais, que este veneno provoca em seus cérebros.

Mas outros desenvolvem o que podemos chamar, de “dependência do ódio”.

Criamos uma situação em que não conseguimos, nos desvencilhar de outra pessoa pelo ódio, que a ela enviamos em todos os instantes. Ao permitir que isto ocorra caímos na armadilha, sem notar que estamos primeiramente prejudicando a nós mesmos. Imperioso lembrar sempre, que por mais longe ou perto, que a outra pessoa se encontre, dentro de nós ela está bem perto do nosso coração, que se encontra impregnado de energias destrutivas, que prejudicam principalmente a nós.

Se você sente esta dependência, procure orar pela outra pessoa, para que você se liberte e seja feliz

Pesquisa enviada por Veronique P. de Masredon- Grupo de Apoio Francisco de Assis – GAFA – Fonte:  http://www.gotasdepaz.com.br/

Anúncios

Obsessão Eletrônica

Quando chips e a nanotecnologia são instrumentos da obsessão

A Apometria, desde o seu início com o Dr. Lacerda, na década de 60, trabalha com a retirada de “aparelhos parasitas”, implantados no Duplo Etérico e até no Corpo Astral, pelas forças das Trevas.

É mais comum do que se pode pensar. Em média, de 30 a 40% dos atendimentos realizados por grupos de Apometria acusam a presença de “aparelhos”, como causadores de muitas disfunções psíquicas, emocionais e inclusive fisiológicas.

Sempre por trás desses artefatos estão líderes que costumam ser chamados de magos. Eles comandam verdadeiros laboratórios localizados nas profundezas do Umbral. Esses “cientistas” criam e produzem peças miniaturizadas eletrônicas que são implantadas por técnicos no corpo energético de encarnados.

Como no fator da obsessão corriqueira, em que uma entidade transforma um encarnado em escravo dos seus comandos, a obsessão eletrônica permite o monitoramento à distância – a partir dos laboratórios –, além de uma ação contínua e persistente no equilíbrio energético e físico do obsedado.

E, da mesma maneira, somente pode ser realizada com a ajuda da própria vítima, que permite, através de suas imantações desarmônicas, a concretização do projeto obsessivo.

Portanto, não há obsessor eficiente sem obsedado permissivo. Novamente se torna relevante lembrar que o melhor antídoto está na máxima do Evangelho de Jesus: “Vigiai e Orai”.

Para saber + http://amigosdaapometria.blogspot.com/