Alimento Mental é pra toda vida!

Função-do-cordão-umbilicalbebecriança feliz

 

… No útero materno eles se alimentam, diariamente, de formas mentais, sem utilizarem a boca física, valendo-se da capacidade de absorção do organismo perispirítico, mas ainda não sentem a extensão desses fenômenos em suas experiências diárias.

No lar, na via pública, no trabalho, nas diversões, cada criatura recebe o alimento mental que lhe é trazido por aqueles com quem convive temperado com o magnetismo pessoal de cada um.

Dessa alimentação dependem, na maioria das vezes, mormente para a imensa percentagem de encarnados que ainda não alcançaram o domínio das próprias emoções, … os estados íntimos de felicidade ou desgosto, de prazer ou sofrimento.

O homem absorve matéria mental, em todas as horas do dia, ambientando-a dentro de si mesmo, nos círculos mais íntimos da própria estrutura fisiológica.

Nunca sentiu a perturbação do fígado, depois de um atrito verbal?  Jamais experimentou o desequilíbrio momentâneo do coração, recebendo uma notícia angustiosa?  Por que a desarmonia orgânica, se a hora em curso era, muitas vezes, de satisfação e felicidade?

É que, em tais momentos, o homem recebe “certa quantidade de força mental” em seu campo de pensamento, como o fio recebe a “carga de eletricidade positiva” O ponto de recepção está efetivamente no cérebro, mas se a criatura não está identificada com a lei de domínio emotivo, que manda selecionar as emissões que chegam até nós, ambientará a força perturbadora dentro de si mesmo, na intimidade das células orgânicas, com grande prejuízo para as zonas vulneráveis.

Fonte: MISSIONÁRIOS DA LUZ –  Francisco Cândido Xavier – André Luiz

 

Nas obras da assistência social

pomba_branca_ceu_espiritoNão esperes ocasião favorável para a resposta aos apelos do bem.
Todo dia é tempo de semear…

Quantos se prendem à teia escura da desconfiança e do medo, perdendo as mais belas oportunidades de elevação!

Se já pudeste aprender que a Humanidade é a nossa família, levanta no centro da própria alma o primeiro santuário de teu ideal, erguido à extensão do Reino do Amor!

Oferece em teu mundo íntimo um companheiro aos deserdados, um amigo aos oprimidos, um pai aos órfãos, um irmão aos sofredores.

Não exija do destino uma fortuna amoedada para que te convertas em trabalhador da grande renovação.

O ouro, sem caridade que o dirija, é moldura da avareza e do sofrimento.
A boa vontade ignora o bloco de cheques.

A sinceridade não é artigo de oferta e procura.
A paz não se acumula nos bancos.

Não olvides que o trabalho é o único processo de aumentar a riqueza e nem te esqueças de que o serviço é o único recurso de capitalizar a simpatia e a cooperação.

Se abraçaste o Evangelho, recorda que o nome de Jesus está empenhado em nossas mãos.
E, com o Mestre da Cruz, toda visão do caminho se modifica.

Onde a ignorância espalhou males incontáveis observarás o teu campo de ação e onde a miséria plantou espinheiros e lágrimas encontrarás o teu ensejo sublime de auxiliar, valorosamente.
Com Cristo, a expectação não encontra lugar.

Junto d’Dele, toda dúvida é perda de tempo.
À frente do Senhor, toda queixa é descabida.
No Evangelho, não existem “Terras de ninguém”.
Nele, só uma recomendação prevalece: – “Amar sempre, aprender sem repouso e servir sem distinção”.

Quando uma centésima parte do Cristianismo de nossos lábios conseguir expressar-se, em nossos atos de cada dia, a Terra será plenamente libertada de todo o mal.

Em razão disso, traze tu mesmo à edificação da bondade e da luz não somente a tua palavra e a tua bolsa, mas acima de tudo, a tua fé e o teu coração.

Lembra-te que a redenção do mundo principiou, não na queda do orgulho político e racial do Império Romano, mas no amor, na humildade, no serviço e na coragem de Jesus, o nosso Divino Mestre e Senhor.

Traze tua alma às tarefas do bem e estarás fazendo o melhor.
Não te encarceres nas impressões de ontem e nem te amedrontes à frente do amanhã.

Hoje é o nosso dia de começar.

Pelo Espírito Emmanuel. Psicografia de Francisco Cândido Xavier. Livro: Servidores No Além.

Assim que é;

sem_fronteiras
Olhamos as nossas necessidades com olhos de importância menor que de outrora, só para não carregar o olhar com coisas do passado, bagagem demais atrapalha.

As palavras ditas sobre nós pelos outros, são palavras dos outros e não nossas e; não somos os outros, então, deixem que digam; a nós dizem apenas nada.

Crer é complicado, acreditar é mais complicado ainda, por isso aprendemos uma coisa sobre todas as coisas; elas mudam e; se mudam pra que constituir crenças.

O que vem nos faltando todos os dias é sempre menor do que ganhamos ao final de cada dia, assim, vivemos no lucro sempre com aquilo que nos cabe.

Sobre os outros, sabemos que não vamos muda-los, assim, só este simples saber é toda a mudança que podemos fazer em nós sobre os outros.

Quando erramos, é por tempo certo e prazo determinado, se aqui podemos corrigir, lá em cima vamos refinar ou vice e versa, assim, o erro é também o que nos acerta, sem ele; vamos melhorar em que?

Descobrimos que coisas e pessoas boas ou ruins fazem parte do nosso viver e são necessárias para crescermos, selecionarmos e superarmos, então a paz e o equilíbrio é o movimento para o bem viver sem tristeza ou medo.

Quanto ao amor, já entendemos que ele não vem do corpo, mas, da alma, que não serve apenas para se dizer ao outro, mas, para favorecer a todos; descobrimos como fazer crescer, irradiar e brilhar além de nós, e que isso se chama caridade e que isso tudo cabe no coração e que quando a gente morre não perde nada de importante e fica com tudo que é significante.

E entre as coisas que fazemos a melhor e mais contemporânea é promover a paz e incentivar ao outro no sentido da esperança.

A guerra é entre egos não mais entre povos ou nações, a fome do corpo é também a da alma e o DEUS é de todos e por todos.

Mas, entre as coisas, descobrimos a que realmente importa é o amor, esse é o estopim, que incendeia e faz a luz que nos banha todos os dias hoje aqui e amanhã em algum outro lugar.

E se por algum motivo a gente ainda erra é que certamente ainda não estamos prontos para só acertar, o tentar também é viver é antes de tudo; fé e esperança que um dia tudo será certo, assim que é!

Roberto Barros

Se você pensar

imagesDiz você que a palavra do companheiro é agressiva demais; no entanto, se você pensar nas frases contundentes que lhe saem da boca, nem de leve passará sobre o assunto.

Diz você que o amigo praticou erro grave; contudo, se você pensar nos delitos maiores que deixou de cometer, simplesmente por fugir-lhe a oportunidade, não encontrará motivo de acusação.

Diz você haver sofrido pesada ofensa; entretanto, se você pensar quantas vezes tem ferido os outros, olvidará, incontinenti, as falhas alheias.

Diz você que não suporta mais os trabalhos com que os familiares lhe tributam as horas, mas se você pensar nos incômodos que a sua existência tem exigido de todos eles, não terá gosto de reclamar.

Diz você que os seus sacrifícios são muito grandes, em favor do próximo; no entanto, se você pensar nas vidas que morrem diariamente, para que você tenha a mesa farta, decerto não falará mais nisso.

Diz você que as suas necessidades são invencíveis; contudo, se você pensar nas privações daqueles que seriam infinitamente felizes com as sobras de sua casa, não tropeçaria na queixa.

Diz você que não pode ajudar na beneficência, em razão de velha enxaqueca; contudo, se você pensar naqueles que jazem no leito dos hospitais, implorando um momento de alívio, não adiará seu concurso.

Diz você que não dispõe de tempo para o cultivo da caridade, mas se você pensar nos mil e quatrocentos e quarenta minutos que você possui, cada dia, para viver na Terra, não se esconderá em semelhante desculpa.

Em todo assunto de falta e perdão, não nos demoremos visando os outros. Pensemos em nós próprios e preferiremos fazer silêncio, extinguindo o mal.

Pelo Espírito André Luiz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.
Livro: O Espírito da Verdade. Lição nº 73. Página 168.

Problemas do mundo

Chico XavierO mundo está repleto de ouro.
Ouro no solo. Ouro no mar. Ouro nos cofres.
Mas o ouro não resolve o problema da miséria.

O mundo está repleto de espaço.
Espaço nos continentes. Espaço nas cidades. Espaço nos campos.
Mas o espaço não resolve o problema da cobiça.

O mundo está repleto de cultura.
Cultura no ensino. Cultura na técnica. Cultura na opinião.
Mas a cultura da inteligência não resolve o problema do egoísmo.

O mundo está repleto de teorias.
Teorias na ciência. Teorias nas escolas filosóficas. Teorias nas religiões.
Mas as teorias não resolvem o problema do desespero.

O mundo está repleto de organizações.
Organizações administrativas. Organizações econômicas. Organizações sociais.
Mas as organizações não resolvem o problema do crime.

Para extinguir a chaga da ignorância, que acalenta a miséria; para dissipar a sombra da cobiça, que gera a ilusão; para exterminar o monstro do egoísmo, que promove a guerra; para anular o verme do desespero, que promove a loucura, e para remover o charco do crime, que carreia o infortúnio, o único remédio eficiente é o Evangelho de Jesus no coração humano.

Sejamos, assim, valorosos, estendendo a Doutrina Espírita que o desentranha da letra, na construção da Humanidade Nova, irradiando a influência e a inspiração do Divino Mestre, pela emoção e pela ideia, pela diretriz e pela conduta, pela palavra e pelo exemplo e, parafraseando o conceito inolvidável de Allan Kardec, em torno da caridade, proclamemos aos problemas do mundo: – “Fora do Cristo não há solução”.

Pelo Espírito Bezerra de Menezes. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.
Livro: O Espírito da Verdade. Lição nº 01. Página 15.

20 dicas de Dalai Lama para o Bem Viver

Dalai_LamaO Dalai Lama é o título de uma linhagem de líderes religiosos da escola Gelug do budismo tibetano, tratando-se de um monge e lama, reconhecido por todas as escolas do budismo tibetano.

Dalai significa “Oceano” em mongol e “Lama” é a palavra tibetana para mestre, guru, e várias vezes referido por “Oceano de Sabedoria”, um título dado pelo regime mongoliano a Altan Khan (o terceiro Dalai Lama) e agora aplicado a cada encarnação na sua linhagem.

Os dalai lamas são mostrados como sendo a manifestação de Avalokiteshvara, o Bodhisattva da Compaixão, cujo o nome é Chenrezig em tibetano. Após a morte do Dalai Lama, uma pesquisa é instituída pelos seus monges para descobrir o seu renascimento, ou tulku.

É sempre bom ler e refletir os conselhos do grande Mestre Dalai Lama

01 – Leve em consideração que grandes amores e grandes realizações envolvem grandes riscos.
02 – Quando você perder, não deixe de tirar uma lição.
03 – Siga os três Rs: Respeito por si próprio, respeito pelos outros, responsabilidade por todas as suas ações.
04 – Lembre-se que não conseguir o que você quer é algumas vezes um lance de sorte.
05 – Aprenda as regras para que você saiba como infringi-las corretamente.
06 – Não deixe uma pequena disputa ferir uma grande amizade.
07 – Quando você perceber que cometeu um erro, tome providências imediatas para corrigi-lo.
08 – Passe algum tempo sozinho todos os dias.
09 – Abra seus braços para mudanças, mas não abra mão de seus valores.
10 – Lembre-se que o silêncio às vezes é a melhor resposta.
11 – Viva uma vida honrada. Então, quando você ficar mais velho e pensar no passado, você vai ser capaz de apreciá-la uma segunda vez.
12 – Uma atmosfera de amor em sua casa é o fundamento para sua vida.
13 – Em discordâncias com entes queridos, trate apenas da situação atual. Não fale do passado.
14 – Compartilhe o seu conhecimento. É uma maneira de alcançar a imortalidade.
15 – Seja gentil com a terra.
16 – Uma vez por ano, vá a algum lugar onde nunca esteve antes.
17 – Lembre-se que o melhor relacionamento é aquele em que o amor um pelo outro excede sua necessidade pelo outro.
18 – Julgue seu sucesso pelo que você teve que renunciar para consegui-lo.
19 – Aproxime-se do amor e cultive-o despreocupadamente.
20 – Se você quer ver a si mesmo e o outro feliz, pratique a compaixão.

A força realizadora é inata!

imagesNo homem, a fé é o sentimento inato de seus destinos futuros; é a consciência que ele tem das faculdades imensas depositadas em gérmen no seu íntimo, a princípio em estado latente, e que lhe cumpre fazer que desabrochem e cresçam pela ação da sua vontade.

Até ao presente, a fé não foi compreendida senão pelo lado religioso, porque o Cristo a exalçou como poderosa alavanca e porque o têm considerado apenas como chefe de uma religião.

Entretanto, o Cristo, que operou milagres materiais, mostrou, por esses milagres mesmos, o que pode o homem, quando tem fé, isto é, a vontade de querer e a certeza de que essa vontade pode obter satisfação.

Também os apóstolos não operaram milagres, seguindo-lhe o exemplo? Ora, que eram esses milagres, senão efeitos naturais, cujas causas os homens de então desconheciam, mas que, hoje, em grande parte se explicam e que pelo estudo do Espiritismo e do Magnetismo se tornarão completamente compreensíveis?

A fé é humana ou divina, conforme o homem aplica suas faculdades à satisfação das necessidades terrenas, ou das suas aspirações celestiais e futuras.

O homem de gênio, que se lança à realização de algum grande empreendimento, triunfa se tem fé, porque sente em si que pode e há de chegar ao fim colimado, certeza que lhe faculta imensa força.

O homem de bem que, crente em seu futuro celeste, deseja encher de belas e nobres ações a sua existência, haure na sua fé, na certeza da felicidade que o espera, a força necessária, e ainda aí se operam milagres de caridade, de devotamento e de abnegação. Enfim, com a fé, não há maus pendores que se não chegue a vencer.

O Magnetismo é uma das maiores provas do poder da fé posta em ação. É pela fé que ele cura e produz esses fenômenos singulares, qualificados outrora de milagres.

Repito: a fé é humana e divina. Se todos os encarnados se achassem bem persuadidos da força que em si trazem, e se quisessem pôr a vontade a serviço dessa força, seriam capazes de realizar o que, até hoje, eles chamaram prodígios e que, no entanto, não passa de um desenvolvimento das faculdades humanas.

– Um Espírito Protetor. (Paris,1863.)

Fonte: Livro O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO – capítulo XIX –  FÉ TRANSPORTA MONTANHAS – item 12