A vida lhe cobra por felicidade

felicidadeQue a paz e o amor estejam entre todos. Paz, alegria e felicidade, eis a fórmula da vida. Vivemos em esferas diferentes, por períodos determinados e objetivos múltiplos, mas, no amor a vida e ao viver pelo próximo está toda a nossa razão de tantos aprendizados seguidos, por toda a eternidade. DEUS nosso PAI e Jesus nosso Mestre nos oferece essa oportunidade a cada novo dia; sejamos todos conscientes do progresso que alcançamos a cada obstáculo que vencemos.

Querido irmão Roberto Sou Eleonora de Jesus, trabalho na Colônia a mais tempo do que você possa imaginar, estive por várias vezes no planeta terra e muitas delas no Brasil de todos nós, digo todos nós, pois, é uma região de exuberância, muitos estão à espera da vivência na carne neste país tão significativo para o progresso espiritual. Muitos são os espíritos de altíssimo nível que já estiveram entre vocês e inúmeros outros já estão e tantos outros se preparam para descer por conta do ajuste a transição.

Minhas palavras são direcionadas aos que estão sob a influencia direta desta transição, espíritos sensíveis, ainda pouco capazes de se auto equilibrar e que vibram ainda sob a influência da matéria. Sofrem os queridos irmãos, com a inobservância da vigília, desconfiam do amor bendito que lhes protege e das mãos que lhes são estendidas, em amparo as angústias e as dores.

Queridos irmãos, ainda que tua estadia na terra se finde, haverá de continuar as dores da transição, não busque entre os homens encarnados o alívio a estes sofrimentos, todos são passageiros e cabe a cada um viver para aprender, muitos já sabem como desprender-se da dor pela aceitação e resignação, outros absorvem, interiorizam e transformam em doenças, onde não havia.

Cada um aprende com o seu sofrer, aquilo que lhe é próprio.

Muitos quando tiverem a oportunidade desta leitura, estarão vivenciando essas dores, outros irão vive-las em breve momento e há os que estão ao vosso lado para vos aliviar o fardo, de mãos estendidas e de peito aberto e que se coloca em vosso caminho, por orientação do Mestre Jesus. Creia filho de DEUS, não há um só instante que passas por aprendizados maiores que a vossa capacidade de compreensão e solução – Tudo vos chega ao propósito do progresso, sede feliz, por quanto nos lhe desejamos a alegria por toda a eternidade

Fique na luz do amado Mestre Jesus, que por ti, me permitiu hoje lhe trazer este abraço amoroso, nas palavras que vos indico, seja feliz a vida lhe cobra por felicidade.

Eleonora de Jesus

Texto canalizado pelo Médium Roberto Barros para o Livro Colônia Brasil.

Anúncios

O minuto

images

A conduta indica a orientação espiritual da criatura.
Surge o ideal realizado, consoante o esforço de cada um.
Amplia-se o ensino, conforme a aplicação do estudante.
Eternidade não significa inércia, mas dinamismo incessante.
O caminho é infinito.
Quem estabelece a rota da viagem é o viajor.
Continua, pois, em marcha perseverante, gastando sensatamente o tesouro dos dias.
Em sessenta segundos, a lágrima pode transformar-se em sorriso, a revolta em resignação e o ódio em amor.
Nessa mínima parcela da hora, liberta-se o espírito do corpo humano, a flor desabrocha, o fruto maduro cai da árvore e a semente inicia a germinação da energia latente.
Analisa o que fazes de tão valiosa partícula de tempo.
Num só momento, o coração escolhe roteiro para o caminho.
Com o Evangelho na consciência, o lazer é tão-somente renovação de serviço sem mudança de rumo.
Não desprezes o tempo, em circunstância alguma, pois quem espera a felicidade se esmera em construí-la.
A hora perdida é lapso irreparável.
Dominar o relógio é coordenar os sucessos da vida.
Nos domínios do tempo, controlamos a hora ou somos ignorados por ela.
Por isso, quanto mais a alma se eleva em conhecimento, mais governa os próprios horários.
Lembra-te de que as edificações mais expressivas são formadas por agentes minúsculos e de que o século existe em função dos minutos.
Não faz melhor quem faz mais depressa, mas sim quem faz com segurança e disciplina, articulando ordenadamente os próprios instantes.
Observa os celeiros de auxílio de que dispões e não hesites.
Distribui os frutos da inteligência.
Colabora nas tarefas edificantes.
Estende a solidariedade a benefício de todos.
Fortalece o ânimo dos companheiros.
Não te canses de ajudar para que se efetue o melhor.
O manancial do bem não tem fundo.
A paz coroa o serviço.
E quem realmente aproveita o minuto constrói caminho reto para a conquista da vitória na Divina Imortalidade.

Fonte: Waldo Vieira pelo Espírito André Luiz – Do livro: “Sol nas Almas”

A Arte de Agradecer

thank youAlguns dos segredos mais valiosos da sabedoria teosófica estão ocultos sob a aparência externa do óbvio. Embora eles sejam decisivos na busca da felicidade, para percebê-los é preciso ir além das palavras e da casca externa das ideias.  O artigo a seguir examina um deles.

Há milênios, a experiência acumulada da busca da sabedoria indica que a arte de agradecer figura entre as chaves secretas do Caminho da verdade.

O conhecimento de alma que permite optar conscientemente entre a ambição e o agradecimento constitui uma lição avançada em filosofia esotérica.

“Ao invés de desejar o que não tem, agradeça pelo que possui”, aconselham os sábios. A arte de agradecer liberta o ser humano de expectativas e de ansiedade, e o reconcilia com os fatos como eles são.  Graças a ela, o indivíduo adota uma posição de vitorioso, e estabelece uma sintonia positiva com o que é bom e correto.

Agradecer é uma opção pela simplicidade, e a simplicidade permite percorrer o caminho da bem-aventurança. Ser grato é reconhecer que a vida – embora flua em um movimento incessante – é completa em si mesma a cada momento. A renúncia consciente ao desejo pessoal por objetos ou situações externas é algo que abre as portas da riqueza interior, dando acesso ao “tesouro que está nos céus”.

Agradecer é, também, aceitar o outro e aceitar a Vida. Quando percebemos a importância do momento presente, passamos a ser gratos pelas oportunidades que nos rodeiam o tempo todo. Agradecer é um ato de amor incondicional, e é um exercício de desapego.  É uma opção pelo suficiente, e contém em si a semente da humildade.

A auto-restrição voluntária do eu inferior, quando acompanhada de paz interna, leva a uma plenitude ilimitada que existe no plano do eu superior ou alma espiritual. Através do agradecimento renunciamos às ilusões e abrimos espaço em nossa aura para que coisas agradáveis ocorram em todos os níveis do fluir da vida.

Agradecer Como Verbo Intransitivo
Para agradecer, não é necessário pensar em um fato isolado e agradável que nos tenha ocorrido.  Podemos agradecer intransitivamente, isto é, sem objeto. O agradecimento incondicional ou intransitivo não depende de fatos externos. Não é um formalismo, mas um ato interior.

Uma gratidão espontânea surge inevitavelmente quando percebemos que a vida biológica não nos pertence. Ela constitui uma dádiva provisória. Ela é colocada ao nosso alcance para que possamos aprender sabedoria num processo cíclico para o qual somos convidados durante algum tempo. Somos hóspedes, e não proprietários, e, sendo hóspedes, devemos agradecer.

O exato oposto do agradecimento é o desejo pessoal intenso. O budismo e a teosofia ensinam que o desejo é uma fonte central de infelicidade. A emoção do desejo é probatória. Ela normalmente traz consigo ilusão e pode tecer com movimentações impensadas um círculo vicioso de ansiedades e frustrações que terminam por produzir apenas desânimo.

O sábio não deseja  pessoalmente que isso ou aquilo ocorra. Não alimenta esperanças. Ele aceita os fatos como são. Ele define metas claras e toma providências práticas para alcançá-las. Mais do que desejos, portanto, o estudante experiente de filosofia esotérica deve ter projetos. Todo desejo desacompanhado de uma intenção prática constitui uma perda de energia.

Helena Blavatsky escreveu em seu artigo “Chelas e Chelas Leigos”: “Antes de desejar, faça por merecer”.

Uma Prática Silenciosa
O agradecimento liberta do desejo. Graças a ele o indivíduo evita a dor psicológica causada por esperanças divorciadas da realidade.  Agradecer é uma opção voluntária que produz uma liberdade invisível diante do carma futuro e do carma presente.

Para que haja eficácia, a arte oculta do agradecimento deve ser praticada mais em silêncio do que em palavras. É importante dizer aos outros “Muito Obrigado”. Trata-se de uma prática saudável e necessária. Mas é ainda mais importante ser grato em nossa própria consciência. Agradeça sem palavras em seu coração, e será feliz.  O sentimento interno de gratidão resulta da constatação direta de que a vida está OK, e de que você está OK.

Agradecendo a Todos os Seres
A opção pelo agradecimento nos liberta da má vontade e da estreiteza mental e constitui um modo eficaz de celebrar a Vida. Cada parte do Universo vive e pulsa. Todos os seres interagem e cooperam entre si. O teosofista pode sentir-se grato pelos acontecimentos difíceis ou probatórios da vida diária, porque aprende realismo com eles.

Embora os budistas estejam certos ao desejar tradicionalmente paz a todos os seres, quando fazem isso ainda há algo a ser desejado. O estudante de filosofia esotérica, por sua vez,  reconhece que a paz já está presente em todo o universo e não necessita ser almejada no plano emocional. Ele pode dizer então:

“Agradeço a todos os seres”.

Deste modo, o ciclo energético passa a estar completo em si mesmo e não há coisa alguma que deva ser desejada. Existem apenas metas elevadas e de longo prazo a serem buscadas – com calma determinação – através de ações práticas.

Fonte: www.FilosofiaEsoterica.com

Meditações para a noite

imagesA porta para o divino é a espontaneidade. Ser espontâneo é ser divino. A mente nunca é espontânea, ela está sempre no passado ou no futuro, está naquilo que já foi ou naquilo que ainda não aconteceu. Entre um e outro, ela perde aquilo que é – ou seja, a porta presente.

O momento presente não é parte do tempo, por isso a mente não pode acessá-lo. Mente e tempo são sinônimos. Você pode dizer que a mente é o tempo dentro de seu ser, e o tempo é a mente fora de você, mas eles são um único fenômeno.

O momento presente não é parte do tempo nem da mente. Quando você está no momento presente, está em um estado divino. Esse é o verdadeiro significado da meditação, o verdadeiro significado da oração, o verdadeiro significado do amor. E, quando você age no momento presente, essa ação nunca é escravizadora, porque não é sua: é o divino agindo através de você, é o divino fluindo através de você….

Antes de a morte chegar, o verdadeiro lar tem de ser encontrado. E ele pode ser encontrado, porque não está longe. Pode ser encontrado porque está exatamente dentro do seu ser. Você não precisa viajar nem um pouco; ao contrário, você tem de se sentar quieto e abandonar todos os tipos de viagens mentais.

Quando a mente não se move para o passado nem para o futuro, ficando no agora, essas viagens acabam. E, nesse exato momento, a semente começa a se desenvolver numa planta. As possibilidades, então, são infinitas – as frutas, as flores, o sol, os ventos, a chuva… E você aproveita tudo.

Você pode dançar com o vento, pode partilhar alegria com as nuvens, pode sussurrar com as estrelas…

Fique cada vez mais em silêncio. Sempre que tiver oportunidade, sente-se em silêncio, sem fazer coisa alguma, nem sequer meditação. Apenas se sente em silêncio, sem propósito algum. Lentamente, lentamente, o silêncio cresce, torna-se uma experiência dominadora. E, quando o silêncio o permear, você saberá quem você é e saberá o que essa vida é. Sabendo disso, você conhecerá Deus….

Seja o mais silencioso possível. Sente-se cada vez mais em silêncio – e não só em silêncio físico. Este também é útil e cria uma situação, mas ele não é o fim, é apenas o começo. É mais importante que a mente fique em silêncio, que a mente pare de tagarelar. E ela pára – o problema é que nunca tentamos.

Tudo o que é preciso é um processo muito simples: sente-se dentro de si e observe. Deixe a mente fazer todo tipo de truque e apenas observe, sem julgar nem dizer se é bom ou mau, sem escolher nem rejeitar – fique totalmente indiferente, sereno, apenas como um observador. Lentamente, lentamente, se você ficar sereno e indiferente, você pega o jeito.

Primeiro a mente tenta todo tipo de truque conhecido e depois, aos poucos, ela começa a se sentir embaraçada, porque você não se deixa afetar de maneira alguma, nem de um jeito nem de outro. Se você se deixar afetar e ficar contra ela, ela se sentirá perfeitamente à vontade e o perturbará. Por isso, não se coloque contra ela, não lute contra ela, não se torne vítima dos truques dela. Apenas permaneça indiferente.

Muitas vezes você se deixará envolver. Quando perceber isso, solte-se, recomponha-se, comece a observar de novo. Surge um pensamento – observe-o. Ele aparece bem à sua frente – olhe para ele. E ele passa. Observe-o, sem nenhuma idéia sobre ser bom ou ruim, se deveria ou não estar lá, sem nenhuma atitude moral – apenas uma observação serena, científica.

Um dia, de repente, ele não está mais lá, e nesse dia um silêncio tão profundo toma conta de você, como você nunca sentiu antes. E ele nunca mais o abandona, permanece com você, torna-se sua própria alma. É libertador….

Dissolva-se numa energia de amor, torne-se uma energia de amor – não amor por algo específico, mas amor por tudo, e até por nada! Não é preciso um objeto de amor, mas apenas uma energia transbordante de amor.

Se você está sentado em silêncio em seu quarto, deixe que o ambiente se torne cheio de energia de amor, crie uma aura de amor à sua volta. Se você estiver olhando para as árvores, ame as árvores. Se estiver olhando para as estrelas, ame as estrelas. Você é amor, e pronto! Portanto, onde quer que esteja, vá jorrando amor… até sobre as rochas. E, quando você jorra amor sobre as rochas, elas não são mais simplesmente rochas.

O amor é tamanho milagre, tamanha magia, que transforma tudo no objeto amado. Você se torna amor, e a existência se torna a amada, se torna Deus.

As pessoas buscam e procuram Deus sem se tornarem amor. Como podem encontrá-lo? Não possuem o equipamento necessário, nem o contexto e o espaço necessários. Crie amor e esqueça tudo sobre Deus. Um dia, de repente, você o encontrará em todo lugar…

Fonte: OSHO

O Momento da Dificuldade

imagesTodo discípulo passa por períodos difíceis nos quais aquilo que em outros tempos ele pensava que sabia o abandona, ou parece inútil.

Quando se recupera, ele lembra e sente o poder de muitas frases familiares e cheias de força que se aplicam diretamente ao seu caso, e que poderiam tê-lo tirado da escuridão em que estava.

Agora ele compreende que a lei rege cada circunstância, que só ele é responsável pela sua própria situação, e que nunca está sozinho, porque, onde o pensamento consegue chegar, o Mestre pode estar presente.

Ele vê também que tudo o que começa na sequência do tempo termina na sequência do tempo. Sim, ele conhece muito bem estes fatos todos. Ele viu estas verdades serem repetidas uma e outra vez. Ele já tem recebido, graças a elas, ânimo e encorajamento para continuar o trabalho. Ele já mencionou estes fatos para outras pessoas, quando elas enfrentavam seus momentos de dificuldade. Por que, então, ele os esqueceu quando chegou a sua própria hora de sofrimento?

Há muitas coisas que jamais esquecemos.  Em nossa consciência normal de estado de vigília, nunca experimentamos dor, sofrimento ou alegria tão grandes que nos impeçam de lembrar e aplicar de imediato um grande número de fatos necessários. Por que  então esquecemos estas verdades da alma, especialmente considerando que havia, ao nosso dispor, grande número de fatores estimulando a lembrança? Deve ser porque falávamos superficialmente destes fatos – ao invés de fazer deles uma parte ativa das nossas vidas.

Parece ser sábio, e também necessário, preparar-nos para os momentos de dificuldade através de um estudo mais intenso e de uma prática mais regular do ensinamento.

Temos uma tendência de ser negligentes nestas atividades, até que as provações acontecem. A época propícia para construir um baluarte de defesa diante de tais desafios está nas temporadas agradáveis. Este é o momento favorável, quando a oportunidade bate à nossa porta, a mente permanece aguda, o coração não se sente sobrecarregado,  e o corpo está saudável.

Se o discípulo aproveita com eficiência estes momentos, ele acumula uma força cujo impulso fará com que atravesse a hora da dificuldade assim como o impulso de um carro faz com que ele ultrapasse um obstáculo temporário.

E ninguém deve pensar que este momento de dificuldade não chegará. Os ciclos precisam completar as suas trajetórias. Inevitavelmente, o final de um ciclo ocorrerá quando parecemos perder a ligação com o poder vivo da alma divina, e então só o impulso resultante do trabalho e do esforço por praticar aquilo que sabemos nos levará, em segurança, até mais adiante.

Também devemos ficar animados pelo fato de que, em comparação com a jornada toda, o momento da dificuldade é muito curto.

As provações mais difíceis nunca duram demasiado, e toda a eternidade está disponível, no passado e no futuro.

Devemos aproveitar ao máximo, portanto, as muitas, inúmeras, horas de oportunidade; e lembrar que, uma vez tendo feito isso, quando acontecerem momentos difíceis, poderemos esperar pelo retorno da luz com paciência, e confiantemente.

O texto a seguir foi publicado pela primeira vez na revista “Theosophy”, de Los Angeles, na edição de maio de 1921, sem indicação do nome de autor. Título original: “The Hour of Need”.  Em 2012, uma análise do seu conteúdo e estilo permitiu concluir que ele foi escrito por John Garrigues. O artigo também está publicado em inglês, com o nome do autor, em  www.TheosophyOnline.com  e websites associados.

Feliz Dia dos Pais!

imagesDeus, em sua infinita sabedoria, justiça e bondade, na trajetória evolutiva dos seus filhos amados, convoca-os a missões sublimes nas cercanias terrenas. E dentre as quais, uma é demasiada passível de louvor: a paternidade.
Feliz daquele Espírito que, abençoado com a condição de pai, fortifica-se na fé e na bonomia para bem cumprir essa tarefa tão árdua quanto tem sido em nosso cotidiano, provendo seus filhinhos — que lhe são concedidos por empréstimo do Criador — com o pão material e o ensinamento moral. Grandes serão as suas recompensas, com a graça do Poderoso.

Assim o constatamos conforme o testemunho da Codificação Espírita:

A paternidade pode ser considerada como missão?
“Sem dúvidas que é uma verdadeira missão. É ao mesmo tempo grandíssimo dever e que envolve, mais do que o homem pensa, a sua responsabilidade quanto ao futuro. Deus colocou o filho sob a tutela dos pais, a fim de que estes o dirijam pela senda do bem, e lhes facilitou a tarefa dando àquele uma organização fraca e delicada, que o torna propício a todas as impressões. No entanto, há muitos que mais cuidam de aprumar as árvores do seu jardim e de fazê-las dar bons frutos em abundância, do que de formar o caráter de seu filho. Se este vier a falir por culpa deles, suportarão os desgostos resultantes dessa queda e partilharão dos sofrimentos do filho na vida futura, por não terem feito o que lhes estava ao alcance para que ele avançasse na estrada do bem.”

Os pais são responsáveis pelo transviamento de um filho que envereda pelo caminho do mal, apesar dos cuidados que lhe dispensaram?
“Não; porém, quanto piores forem as disposições do filho, tanto mais pesada é a tarefa e tanto maior o mérito dos pais, se conseguirem desviá-lo do mau caminho.”

(O LIVRO DOS ESPÍRITOS, Allan Kardec – questões 582 e 583)

 

EU SOU

Saint_GermainAtividade plena de Deus – é Vida manifestada, Deus em ação.

O poder contido na verbalização do “eu sou”
Quando dizeis “EU SOU” ou pensais, liberais a Fonte da eterna e imorredoura Vida que fluirá ao longo de seu curso, imperturbavelmente. Em outras palavras: abris amplamente a porta ao seu escoamento natural e sabei que a tendência natural da vida é a abundância de todo o Bem – amor, paz, beleza, harmonia, prosperidade, perfeição e alegria.

Quando dizeis “EU SOU”, atuais com o Divino Poder que dissolve barreiras e resistências e a Energia de Deus em Ação manifesta-se em vossas vidas. Se ao contrário afirmardes “eu não sou”, fechais a porta à influência de todo o Bem.

O estudante ao esforçar-se para compreender e aplicar esta poderosa Lei, deve exercer severa vigilância sobre seus pensamentos e palavras, pois sempre que afirmar : “eu não sou”, “eu não posso”, “eu não tenho” estará limitando a ação da Energia Divina.

Podeis avaliar o quanto é importante para vós o conhecimento e a vivência destes ensinamentos, principalmente se costumais usar em vossas expressões o Divino Princípio de Atividade Universal “EU SOU”

Em nome de Deus, peço-vos queridos discípulos, observai-vos e evitai o uso de tudo que possa retardar vossa libertação, pois enquanto estimulardes em vossas vidas as condições adversas, estareis fatalmente impedindo vosso próprio progresso.
Declarai sempre, com fervor: “EU SOU” o “EU SOU”

Trechos do ” O Livro de Ouro ” –  Saint Germain