OS 10 EQUIVOCOS DO CAMINHO ESPIRITUAL

 Quando começamos a percorrer o caminho espiritual, procuramos a perfeição em nossas vidas. Tratamos de melhorar o nosso caráter, costumes, idéias, alimentação e até a vida social.

Às vezes, fazemos sacrifícios com a finalidade de alcançar uma vida mais plena e feliz; no entanto, muitas vezes não chegamos ao estado de êxtase ou plenitude que desejamos. A decepção pode levar-nos a rejeitar a disciplina que tínhamos empreendido ou, no pior dos casos, pode desmoralizar-nos até o ponto de pensar que “Deus se esqueceu de nós”.

Qualquer que seja a reação está só nos mostrando que cometemos um erro. E um erro pode ser corrigido. O Universo funciona como um grande computador: é preciso saber tocar nas teclas adequadas para obter o que se deseja. Quando não o estamos fazendo, o computador detém-se, espera fria e silenciosamente o sinal elétrico correto.

O Universo tem suas “teclas” e a Metafísica ensina-nos quais são. Algumas escolas esotéricas adulteram estes ensinos, talvez sem nenhuma má intenção, o que leva muitas pessoas a cometerem erros e a frustrarem-se nas suas expectativas.

Autoria desconhecida – Se souber por gentileza informe para ser citado.

Fonte: LUZ DE GAIA 

Anúncios

O PRIMEIRO EQUIVOCO

Envolver-se numa bolha de proteção, ou numa luz, ou numa cor, ou em anjos, ou em qualquer outra forma que proteja dos perigos que existem fora

A única coisa que logra este tipo de exercício é fomentar a idéia de que algo externo pode ter mais poder que nós. A nossa mente percebe que há algo ali fora que pode, por exemplo, machucar-nos ou fazer-nos mal. Mas, segundo os ensinamentos espirituais, TUDO É DEUS; portanto, nada pode fazer-nos mal.

Na realidade, deveria praticar-se algum tipo de exercício de reconhecimento da segurança pessoal. Este exercício poderia dizer: “Vá onde for, estou sempre a salvo, estou rodeado de irmãos, vivo no mundo que Deus criou e só vejo amor em todo lado”.

Em síntese, ao escolher que exercício mental ou meditação fazer, deveremos procurar aquele que nos lembre a natureza divina da vida e não o perigo que percebe o nosso ego.

Muitas pessoas crêem que repetindo certas afirmações podem transformar a sua situação pessoal, o que é um erro. Não são os pensamentos que determinam a nossa realidade senão as nossas “crenças”. Somente os pensamentos que internalizamos e tomamos como a nossa verdade são os que se manifestam.

Dito de outra maneira, aquilo que “sentimos” internamente que é assim, é o que toma forma no mundo externo.

A mente humana produz uma média, por pessoa, de 60 mil pensamentos diários, a maioria dos quais são negativos. As afirmações são necessárias para lograr implantar uma crença nova na nossa mente subconsciente e a repetição destas afirmações é um procedimento adequado, mas até adicionarmos a emoção ou sensação que acompanha essa idéia não a internalizamos como uma verdade dentro de nós.

A repetição de palavras carentes de emoção não é efetiva.

Portanto, se eu repetir “Vá onde for, estou sempre a salvo”, mas não me sinto realmente seguro, de nada me servirá. É necessário selecionar exercícios mentais, meditações ou visualizações que fomentem as crenças de paz, harmonia e prosperidade.

 

Autoria desconhecida – Se souber por gentileza informe para ser citado.
Fonte: LUZ DE GAIA 

O SEGUNDO EQUIVOCO

Enviar luz aos outros para que melhorem

Pode enviar-se luz ou energia a outras pessoas para que se curem de certa doença, para que melhorem sua situação econômica, a sua vida afetiva, e demais. A maioria destes exercícios são mais parecidos com uma forma de manipulação do que com uma verdadeira ajuda espiritual.

Primeiro e principal: se for ajudar a outro, é preciso ter certeza de que a pessoa o peça e o necessite. Se isto não acontece, temos que trabalhar com o que estamos percebendo, porque o problema é algo pessoal que diz respeito a nós próprios e não à pessoa que está sofrendo.

A maioria dos problemas são apenas momentos de prova que está vivendo um indivíduo; são necessários e muito úteis para “despertar da sua consciência”.

Nunca sabemos na realidade quão importante pode ser para cada pessoa a situação que está enfrentando em determinado momento. Podemos perceber essa situação como algo terrível, doloroso, injusto ou desnecessário, mas qualquer que seja a nossa interpretação, nunca será correta nem completa.

Enviar luz à pessoa poderia acelerar ou entorpecer o seu ritmo pessoal.

Nossa intervenção é desnecessária e a maior parte das vezes, não é mais do que um desejo egoísta de que a pessoa resolva rápido o seu problema porque este nos produz angústia ou dor.

Em lugar de enviar luz aos outros cada vez que passar uma situação difícil, começa por enviar luz a si mesmo para que seu Mestre Interior lhe faça ver a Verdade que está atuando na situação.

 

Autoria desconhecida – Se souber por gentileza informe para ser citado.
Fonte: LUZ DE GAIA

O TERCEIRO EQUIVOCO

Crer que vamos em direção a DEUS, que evoluímos espiritualmente

Não vamos em direção a Deus, JÁ ESTAMOS EM DEUS.

Tudo o que nos rodeia forma parte do grande corpo universal de Deus.
Não evoluímos espiritualmente.
O nosso Espírito é Perfeito e Completo; não pode, nem tem de evoluir.

Na realidade, é um problema semântico, já que a evolução espiritual não existe. O que queremos deixar perceber com isso é o despertar da nossa consciência à essa Perfeição e quanto mais rápido o fazemos, mais plenos e felizes vivemos.

Talvez o erro provenha dos ensinamentos religiosos que nos dizem que Deus está “no céu”, como se nós estivéssemos separados d´Ele. Nós e o “céu” somos UM, e devemos aprender a reconhecê-lo e a vivê-lo; nisso consiste a nossa Evolução de Consciência ou Despertar Espiritual.

Autoria desconhecida – Se souber por gentileza informe para ser citado.
Fonte: LUZ DE GAIA

O QUARTO EQUIVOCO

Angustiar-se ou preocupar-se quando há um familiar doente ou atravessando algum tipo de crise

Na nossa cultura está bem visto que uma pessoa se aflija ou sofra ao mesmo tempo que os seus seres queridos; no entanto, isso só aumenta o pesar. E interpretarmos o nosso pesar desde outro nível significa que acreditamos mais no poder da doença ou a crise do que na solução.

Quando uma pessoa se aflige pela doença de um ser querido, agrava essa doença, dá-lhe mais força e poder. Quando colocamos nosso pensamento/sentimento/vibração em qualquer coisa, seja ela “boa”ou “má”, nós a fortalecemos. A solução é fazer um esforço pessoal e reconhecer que, para além do nosso entendimento, há uma Inteligência Superior que está agindo e que tem o poder de restaurar completamente o nosso ser querido, se assim o deseja a pessoa.

O mesmo acontece com qualquer tipo de problema ou crise. Se nos afligimos, é porque o nosso ego aceitou que há uma força mais potente do que o Poder Divino. Sempre é bom lembrar: TUDO ESTÁ NA MAIS PERFEITA ORDEM DIVINA.

 

Autoria desconhecida – Se souber por gentileza informe para ser citado.
Fonte: LUZ DE GAIA 

O QUINTO EQUIVOCO

Acreditar que alguém foi “escolhido” por deus

Muitas pessoas que estudam em escolas esotéricas sentem-se especiais e evoluídas. Sentem que Deus os levou ao lugar adequado para o seu crescimento e evolução; que a informação que vai receber é muito importante e não pode divulgar-se a pessoas que não estão tão evoluídas, porque não têm a capacidade para entendê-la ou para lhe dar um bom uso.

Esta presunção converte-se em uma forma de arrogância nada espiritual, que nos faz pensar que somos privilegiados, especiais, eleitos, e que os outros estão desencaminhados ou perdidos na vida. Esta forma de arrogância também se vê nas religiões que se sentem proprietárias de Deus. Se alguém não segue o seu culto, está perdido.

No Universo existe um só Deus e é o mesmo para Todos.
Os humanos inventam diferentes maneiras de lhe render culto, criam dogmas e doutrinas mas, em essência, todos adoramos o mesmo Deus. Todos somos iguais ante os olhos de Deus. Para Ele, ninguém está mais à frente nem mais atrás. Ninguém vale mais nem menos.

Qualquer interpretação e classificação como ser especial corresponde ao terreno do ego humano e não ao terreno do divino

Autoria desconhecida – Se souber por gentileza informe para ser citado.
Fonte: LUZ DE GAIA


O SEXTO EQUIVOCO

Sacrificar-se por outros

Não há nada mais inútil e insatisfatório que sacrificar-se pelos outros.

As tarefas que se façam pelos outros deverão fazer-se com amor ou, caso contrário, evitar-se. Tudo o que se faz com amor é prazeroso; portanto, não pesa nem incomoda.

Pelo contrário, tudo o que se faz com sacrifício gera pressão interna, rancor, aborrecimento, incômodo e, as vezes, até ódio.

O sacrifício pelos outros está aprovado socialmente e está muito bem conceituado. Alguém pode sacrificar-se, por exemplo, pelos filhos, pelos pais, pelo companheiro, pela profissão, pelas crianças desamparadas, por alguém doente, pela instituição religiosa à qual pertence, pela empresa que lhe dá trabalho.

A lista poderia ser interminável e nada mais é do que uma amostra da ação errônea do nosso ego. Geralmente, nestes casos, a pessoa tem uma necessidade grande de se sentir “aceita” ou aprovada pelos outros. Então, o que falta é auto estima.

O sacrifício vai junto com a manipulação. Por exemplo, uma mãe que deixou a sua vida de lado pelos seus filhos, cedo ou tarde, usará a sua atitude como válida para exigir algo deles; o namorado ou namorada que muda a sua rotina e deixa de fazer certas atividades pelo outro, tratará depois de exigir o mesmo.

A próxima vez que você se sacrificar por alguém, procure saber primeiro se esse alguém lhe pediu. A atitude de mártir não leva em direção a Deus como muitos crêem, só o caminho do Amor. Faça as coisas com Amor ou então não faça nada.

 

Autoria desconhecida – Se souber por gentileza informe para ser citado.
Fonte: LUZ DE GAIA