Vinte Modos

2020 Modos com que nós, espíritas, perturbamos a marcha do Espiritismo:

– Esquecer a reforma íntima.

– Desprezar os deveres profissionais.

– Ausentar-se das obras de caridade.

– Negar-se ao estudo.

– Faltar aos compromissos sem justo motivo.

– Rogar privilégios.

– Escapar deliberadamente dos sofredores para não prestar-lhes pequeninos serviços.

– Colocar os princípios espíritas à disposição de fachadas sociais.

– Especular com a Doutrina em matéria política.

– Sacrificar a família aos trabalhos da fé.

– Açambarcar muitas obrigações, recusando distribuir a tarefa com os demais companheiros ou não abraçar incumbência alguma, isolando-se na preguiça.

– Afligir-se pela conquista de aplausos.

– Julgar-se indispensável.

– Fugir ao exame imparcial e sereno das questões que concernem à clareza do Espiritismo, acima dos interesses e das pessoas.

– Abdicar do raciocínio, deixando-se manobrar por movimentos ou criaturas que tenham sutilmente ensombrar a área do esclarecimento espírita com preconceitos e ilusões.

– Ferir os outros com palavras agressivas ou deixar de auxiliá-los com palavras equilibradas no momento preciso.

– Guardar melindres.

– Olvidar o encargo natural de cooperar respeitosamente com os dirigentes das instituições doutrinárias.

– Lisonjear médiuns e tarefeiros da causa espírita.

– Largar aos outros responsabilidades que nos competem.

 

Fonte: ANDRÉ LUIZ  (Do livro “Opinião Espírita”, psicografia de Chico Xavier

Anúncios

Sobre Roberto Barros

Publicitário

Grato pelo seu interesse no Bem Viver Apometria!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s