FELICIDADE

Na Prece a comunicação

E esta é a grande ilusão que envolve a criatura menos avisada, fazendo com que ela acredite que a felicidade está fora dela mesma, que a felicidade é comprada naquilo que se come, veste e usa. Reduzir o ser humano a uma pequena pele que contém um estômago e um sexo e nada mais é violentar a si mesmo no que é mais precioso e fundamental – a natureza interior.

Esse desconhecido ser-consciência que somos não aceita nada estranho à felicidade inerente a si mesmo. Tentar colocar a felicidade fora de nós mesmos, do nosso íntimo, é como querer mudar o eixo de sustentação de uma grande roda em movimento – perdemos o equilíbrio, a harmonia e a felicidade do viver.

 

O que realmente é necessário é colocarmos para fora, sempre, frequentemente, o lixo mental-emocional que aparece pela nossa atividade diária. Esse sim é nefasto e perigoso, como já vimos, e principalmente pelo fato de que ele nos cega e nos desvia do caminho para nossa real felicidade que está muito perto, próxima demais, dentro demais. Mas, pela nossa desorientação e confusão não a percebemos e nos afastamos dela procurando-a no sentido contrário, fora de nós mesmos. E, dessa maneira, criamos a ilusão de uma falsa felicidade – a felicidade-objeto, uma satisfação passageira quando conseguimos algo desejado. E aí acontece que recebemos aquilo tão esperado e desaparece nossa ansiedade, nossas preocupações exteriores e nos sentimos bem, serenos, voltamos para nós mesmos. É esta aproximação para a nossa real natureza (Ser-Consciência-Felicidade) – que nos dá aquela alegria sentida, e não o objeto que recebemos de fora.

Se isso fosse verdade, aquela alegria não seria temporária, mas permanente e cada vez acrescida pelo recebimento de novas coisas exteriores. Mas, isso não acontece, pois a felicidade-objeto logo desaparece ao reiniciarmos um novo ciclo. Um novo objeto é desejado, o que não é problema em si. A questão é o querer ligar felicidade a algo exterior. Com isso, nós nos deslocamos para fora e para longe do nosso centro de consciência, perdemos contato com nossos valores interiores, com a nossa própria essência, voltamos as costas para a Felicidade Real e vamos em busca de uma felicidade-objeto falsa.

 

É esta a condição do ser humano em quase a sua totalidade. É tão grande e tão expressiva que pode parecer normal, mas não é, o que é, na realidade, é a violação de uma lei natural e permanente. A Felicidade é uma parte integrante da criatura, indispensável, insubstituível. Sem ela, somos inferiores aos animais. Os fatos em si mesmos comprovam esta lei, a humanidade sofre durante as consequências.

 

O problema parece insolúvel, mas não é. Algumas poucas, mas grandes criaturas já ensinavam desde milênios: Onde está o veneno, ali também está o contra-veneno. A criatura humana é, por si mesma, o caminho, a verdade e a vida. Busque e encontrarás, bata e a porta se abrirá. Mas o caminho é áspero e estreito. Na literatura de todos os povos, em todos os tempos, encontramos indicadores precisos e que apontam na mesma direção – para dentro da própria criatura, na sua essência, no seu fundamento, na sua consciência.

 

Caminhos exteriores à criatura existem aos milhares, mas para o interior somente a própria criatura, em si mesma, poderá descobrir. Ninguém de fora, por melhor que seja, pode nos carregar para o nosso templo interior, mas no templo HÁ ALGO que pode mostrar a senda até lá, mas o trabalho de caminhar, de bater à porta é de cada um consigo mesmo. O pedido é íntimo e particular, em segredo, com as portas e janelas fechadas (os sentidos fechados para fora e voltados para dentro). A Prece é a comunicação com Aquele Algo Superior em nós e a resposta virá na meditação do Silêncio. Orai e vigiai – é o ensinamento. Para vigiar, deve-se estar atento e muito quieto e assim será ouvida a Voz do Coração.

 

Texto de Iran Waldir Kirchner

Anúncios

Sobre Roberto Barros

Publicitário

Grato pelo seu interesse no Bem Viver Apometria!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s