PRECE DO CONTROLADOR

Eleve o seu coração

Senhor Deus… Aqui te rogo socorro para a minha compulsão de controlar.

Concede-me a prerrogativa de aprender sempre mais e ensina-me a conquistar, pela observação e auto-análise, o dom da confiança na Providência Divina, que atua em toda parte, através do qual todos entram em contato contigo, em todos os momentos da vida.

Que eu possa deixar de tentar controlar todas as coisas que me rodeiam. Sei que não é minha tarefa controlar familiares, amigos, eventos, situações, enfim, a vida.
Sinto, no entanto, que tenho uma enorme necessidade de fortalecer minha auto-imagem, por mim mesmo desacreditada. Cada vez que consigo com sucesso controlar alguém, confirmo inconscientemente minha maneira equivocada de pensar e, a partir disso, sinto recompensas internas e o ego lisonjeado.
Pai, em virtude desta minha obstinada convicção presunçosa de que “sou melhor e faço o melhor”, através de minha capacidade ou superioridade intelecto-mental, é que vivo relacionamentos complicados e frustrantes. Para compensar-me intimamente, apóio-me ao ponto de vista de que as coisas só vão melhorar quando elas estiverem sob meu controle e supervisão. Mas, no íntimo, sei que sou um ser humano indolente, inseguro e imoderado.
No campo de atividades humanas em que nos encontramos, por acréscimo de Tua bondade, faz-me sentir que todos os patrimônios da vida te pertencem; por isso mesmo te peço que a ilusão de controle abandone meu roteiro existencial.
Sabedoria Perfeita, devo me conscientizar cada vez mais de que nada possuo além de minhas necessidades de renovação. Preciso aprender a colaborar para a vida, e não controlá-la.
E, no dia-a-dia a que o Senhor convida a todos vivenciar junto com aqueles a quem amamos, renova-me as atitudes para que eu não perpetue devaneios e enganos.
Que minha afetividade não seja controladora.
Que minha verdade não seja absoluta.
Que minha coragem não seja intransigente.
Que minha fé não seja dominadora.
Que minha sexualidade não seja manipuladora.
Que minha justiça não seja agressiva.
Que minha paternidade não seja autoritária.
Que minha beneficência não seja imperiosa.
Que minha religiosidade não seja fiscalizadora.
Pai Amoroso, em vez de buscar o controle desesperado quando as coisas não acontecem da forma como eu planejei, devo confiar em que o Senhor já tem algo melhor para minha existência e para a de todos.

Assim seja!
Do livro “LUCIDEZ – A LUZ QUE ACENDE NA ALMA” – Psicografado por Francisco do Espírito Santo Neto – Ditado por HAMMED – 2008

Anúncios

Sobre Roberto Barros

Publicitário

Grato pelo seu interesse no Bem Viver Apometria!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s